quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Mania de retrospectiva

Não gosto muito de retrospectivas, talvez um efeito colateral daquilo que o Sérgio Chapelin apresenta em todos os finais de anos globais. E o motivo é bem simples. Hoje em dia tudo é tão excessivamente exposto que uma retrospectiva torna-se completamente entediante, fútil, frívola. Uma grande perca de tempo, diria. 

Quer um exemplo? Responda-me qual é a necessidade de lembrar que este ano o mundo perdeu Steve Jobs, o fundador da Apple, o brilhante magnata da tecnologia, o Jesus Cristo 2.0... essas baboseiras que todo mundo repete? Nenhuma! Retrospectiva só é legal quando termina uma década, daí olhamos para trás e relembramos de coisas que já haviam realmente caído no esquecimento. Caramba, eu sou muito chato!

Mas apesar de todo o meu desgosto pela mania que a mídia tem de rever fatos e acontecimentos dos anos que se findam (findam é uma palavra bem estranha, melhor não usá-la). Mas apesar de todo o meu desgosto pela mania que a mídia tem de rever fatos e acontecimentos dos anos que se cessam, achei interessante este despretensioso vídeo criado pelo Youtube. Rebecca Black faz as vezes de Chapelin e nos convida a rever os vídeos mais expressivos de 2011. Confira aí, se achar que deve.

0 comentários: