terça-feira, 18 de outubro de 2011

Como a Globo contribui com a estupidez do brasileiro

Já disse aqui que não gosto da Globo. Acho que ela contribui significativamente com a ignorância do brasileiro, talvez por oportunismo, talvez por necessidade, talvez por mero business. Não tem como saber. É muito difícil entender essas coisas. Mas, quer um bom exemplo? Eike Batista.

O que você poderia dissertar sobre esse cidadão caso formasse sua opinião baseado apenas em fontes inteligentes? Falaria sobre sua história, carreira, pensamentos, filosofia de vida e incontáveis razões que levaram - inevitavelmente - ao posto de empresário mais importante do país. Seria o que Donald Trump, ou Warren Buffet representam para os Estados Unidos, guardadas as proporções.

Eike Batista é um nacionalista, compreende como poucos os problemas do país, é otimista, pensa a longo prazo, dosa política e negócios como ninguém. Tem muito sobre Eike Batista que poderia ser ensinado em uma grande mídia, para que as pessoas mais necessitadas se inspirassem em seu modo de empreender.

Eu separei dois vídeos que retratam bem isso. Neles, você entende a linha de raciocínio de um homem que deveria ser respeitado e admirado por seus compatriotas, um exemplo a ser seguido. Assista e continuo na sequência:





Interessante, né? Agora me responda com honestidade: tem como ligar a tevê no horário nobre brasileiro e descobrir que o BNDS é três vezes maior que o Banco Mundial? Que o seu modelo de gestão é um dos mais modernos do mundo? De entender o que significa uma visão 360º? De dimensionar o valor intangível da transparência? Pois é, não tem. Está longe de ter.

Agora veja como a Globo apresenta o mesmo Eike Batista aos brasileiros:



"Com essa fortuna eu não iria trabalhar pra ninguém nunca mais, só iria dar ordem"; "Eu não daria conta de gastar tanto dinheiro não"; "É muito dinheiro, eu acho que eu não ia suportar tanto, não". "Daria pra fazer uma boa festa, né?" Repare, o cerne do assunto é o mesmo, mas a abordagem é totalmente moldada para que as pessoas não tenham que raciocinar. Ela não fala sobre os princípios que nortearam a construção da fortuna, mas o que seria possível fazer com tanto dinheiro. Fazer as pessoas refletirem não faz parte dos planos da Globo - e quando digo Globo, entenda Record, Band, SBT, RedeTV.

No vídeo do "Fantástico" eles mostram um cheque em branco fake, a bunda da Luma de Oliveira, Carnaval, samba, coisas sem a menor importância dentro de um contexto muito maior. Aquela fortuna toda precisa fazer sentido dentro da realidade de um povo entorpecido. O brasileiro é um povo entorpecido, que não foi educado como deveria. É um povo com esperanças falsas, que mal sabe em que acredita, a menos que digam a ele em que acreditar.

Repare bem nas palavras de Marcos Uchôa: "Sabe aquele vontade, o sonho de ganhar sozinho na Mega-Senna? De arrebentar a boca do balão? Isso não é nada, seja mais ambicioso..." Entende o que ele quer dizer? Tente o dinheiro fácil, sem muito esforço. Só a ilusão do dinheiro é que vale, não importando como você vai consegui-lo. Aposte em uma loteria toda a semana, para ser uma alma em milhões a ter o seu dinheiro fácil. Não é um meio, é um fim. Entende por que eu não vou com a cara da Globo?

Será que ninguém entende que não adianta se tornar um miserável milionário do dia para a noite? Ele vai continuar sendo um miserável, sem ter a menor ideia do que está acontecendo a sua volta. É muito perigoso ser um milionário miserável.

E para fechar com chave de ouro, a matéria termina com algumas contas surreais e igualmente idiotas: "com esse dinheiro ele poderia dar um fogão pra cada brasileiro". Bela contribuição a matéria deu ao país, não acham? Será que alguém pensou: - Esse Eique podia ser bonzinho e dar um celular pra mim. Quando ele morrer não vai levar todo esse dinheiro pro céu mesmo..."

Um dica: desligue a porra da televisão, estude alguma coisa, leia, trabalhe duro e construa a sua própria fortuna. Depois você mesmo dá uma geladeira para cada brasileiro, ou pelo menos, tenha o poder de fazer isso.

10 comentários:

Bino disse...

Genial. Nada mais, nada menos. Infelizmente o povo desse país é burro, estúpido e controlado. O lixo da TV dita como as pessoas tem que agir, as novelas da globo ditam como as pessoas tem que lidar umas com as outras, os telejornais passam as informações mais escandalosas e inúteis pra segurar ibope. Esse país não tem esperanças. Não para as pessoas comuns.

Zilda disse...

É a primeira vez que visito este blog...e ja de cara me simpatie pelo primeiro post que vi....parabéns!
Concordo com o que você disse, eles pensam que somos hipócritas.
e esquecem que eles é que são uns ignorantes.

Diego disse...

Sensacional. Um país sério não é feito de sensacionalismo nem de políticos despreparados e sustentados por uma vida pelo partido. Sucesso, como muito bem falado, não cai do céu. É fruto de muito trabalho, visão e de oportunidades construídas e muito bem aproveitadas. Sou partidário de que grandes emissoras sabotam a inteligência massiva da população em prol de seus próprios interesses partidários-econômicos. Muito louvável o post, parabéns. valeu muito mais esta reflexão.

Marcos disse...

Artigo genial, parabéns! Pena que a massa nao lê aqui. Aliás, não lê, assite a globo...

Ronaldo Rocha disse...

Parabéns pela postagem, muito boa. Estou compartilhando com todos. Abraço.

Capitão Doug disse...

Excelente texto Luciano.
Realmente a reflexão não faz parte da cultura do nosso país.Somos montados nessa linha de produção chamada tv brasileira(salvo algumas exceções),no qual muitos tentão levar aquele estilo de vida ilusório proposto pelas novelas...

E aproveitando o tema,aliado a essa sua "simpatia" a rede Globo,você já teve a oportunidade de assistir ao documentário: Muito além do cidadão Kane?
Acredito que sim.Se não assista e faça aquela resenha que você faz tão bem.

Grande abraço

day nascimento disse...

Lucido. Parabéns pelo texto.

Luciano Marino disse...

Lucido???

Vincius disse...

Concordo, eu visito o blog a muito mas essa é a primeira vez que comento. É triste como nós somos acostumados a ver as coisas e a discuti-las todo mundo quer falar que com ese dinheiro, pegaria mulheres compraria casas, apontam pro cara rico e falam: Esse ai deu sorte!

è lamentavel mesmo ao invés de tentar aprender a cada fala deste homeme que querendo ou não daqui a alguns anos será o homem mais rico do mundo preferem apenas falar sobre o dinheiro que ele tem. É foda

Miguel Young disse...

Eike Batista, neto de um oficial da SS, deve sua fortuna e "sorte" na exploração de matérias primas pq seu pai foi, veja que surpresa, ministro de minas e energia durante a ditadura, o que garante uma série de inside infos. Ou vc acha que ele tem é muito sorte de achar metais e petróleo em todo lugar que ele escava?

Admirar o Eike é parecido com admirar o Roberto Marinho; vc até pode dizer que eles são geniais, mas a genialidade deles é feita dentro da sua cavidade anal.