sexta-feira, 4 de março de 2011

Viu só como o jeito de fazer propaganda está mudando?

(É assim que se fala!) - O videomaker-ator-vlogueiro-popstar-polêmico Felipe Neto já é um case de sucesso para ser estudado futuramente nas faculdades de comunicação. Não é exagero, apenas um fato constatado depois de uma peculiar forma de alcançar a fama, afinal, estamos falando de quase 100 milhões de visualizações em sua curta e meteórica trajetória no show business. Dessa forma, é totalmente desnecessário eu ficar falando do que ele já conquistou com seus vídeos de rebeldia sem causa. Prefiro pular essa introdução para dizer que, apesar dele ainda ser um garoto de classe média, bem instruído, com boa edução e diferente da esmagadora maioria, Felipe Neto não começou esse movimento sabendo exatamente aonde estava pisando.

Assim como quase tudo na Internet, é muito difícil se destacar com poucos recursos. Você precisa, ainda que amparado pela sorte, acertar a mão e criar um produto que venda num mercado escroto e recheado de variáveis incontroláveis. E isso, sem dúvidas, é de uma complexidade assombrosa. O meu amigo e publicitário Fred Fagundes já escreveu sobre o personagem Felipe Neto em seu excelente blog Quem Matou a Tangerina? - recomento que leia antes de continuar com este post.

Pois bem, se você acompanha as publicações youtubianas de Felipe Neto, provavelmente você concorde com muitos raciocínios que ele já falou em seu canal, talvez discorde em outras situações e talvez nem tenha pensado no assunto quando assim julgou necessário. Mas por que então os vídeos desse garoto fazem tanto sucesso? Por que o Jô Soares achou que deveria entrevistá-lo? Por que ele já tem programa na televisão fechada? Uma grife? E 1 milhão de seguidores? Por que? Por que? Por que? Simples. Ele fala a língua do seu público como poucos. E isso é exatamente o que uma boa estratégia de comunicação deve fazer: falar a língua do consumidor. Simples assim.

Dito isso, veja a forma como a escola de inglês Wise Up aproveitou-se desse enorme sucesso entre os jovens para divulgar o seu Wise Up Teens - um curso de inglês voltado para os adolescentes. Assista ao vídeo abaixo atentando-se ao que é dito a partir do minuto 7:45. Obviamente, o tema do vídeo foi elaborado com fins comerciais, já que o mesmo assunto já foi tratado pelo Felipe em um vídeo anterior (veja aqui). Ou seja, é uma propaganda. De um jeito diferente. Mas não deixa de ser uma propaganda com todas as suas finalidades. E palmas para a Wise Up, que entendeu a ideia da coisa toda.



Já nos dois vídeos abaixo, esses sim, com jeitão de propaganda, formato padrão, etc e tal, os personagens, Felipe Neto e Fiuk, foram escolhidos com extrema felicidade. A maioria do público-alvo da Wise Up tem conhecimento do embate entre os dois via Twitter meses atrás. A briga começou depois desse vídeo, onde FN critica a maneira como Fiuk e as bandas do gênero tratam seus fãs. As pessoas que fazem propaganda devem se atentar a tudo, até mesmo às futilidades que todo mundo critica. Futilidades, na maioria das vezes, vende.



2 comentários:

Paulo Max disse...

Bem maneiro! Valeu fera!

Leandro Rafael disse...

Eu não tinha essa visão publicitária do cara. Gostei do texto.

E o trabalho da Wise Up (e da agência Yeah!) foi realmente muito bom.