sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Propagandas que embalaram minha infância: Kadett

(Eu tentava imitar) - Sempre que pesquiso essas propagandas dos anos 1980-90 eu percebo que estou ficando realmente velho - até parece que foi ontem que vi o Cid Moreira noticiando o desaparecimento do helicóptero do Ulisses Guimarães. Naquela época eu jamais sonharia que me tornaria um maldito publicitário algum dia, na verdade eu nem sabia da existência dos publicitários, achava que as propagandas eram feitas pelas mesmas pessoas que faziam os produtos.

Este comercial do Chevrolet Kadett é especial, eu adorava, vivia tentando imitar - sem sucesso - a sequência sufocante de râ-râ-râ-râ-râ-râ-ráh.. (sem qualquer conotação homossexual, por favor). O ano era 1993, mais precisamente. Lembro que um primo meu dizia que era a voz do Luciano Pavarotti, meu xará. Mocorongo como era, eu acreditava. Só fui descobrir muito tempo depois que era um tal de Édson Cordeiro quem catava esse clássico da propaganda que tanto me agradava. Um completo canalha, esse meu primo.

Depois de tanto sucesso, lançaram o Kadett 95, e mantiveram a trilha no novo comercial (veja aqui). Lembro também, mas não foi tão marcante quanto o primeiro.

Ainda falando do carro, nessa minha fase gloríola de mocoronguiçes eu ouvi várias teorias sobre a origem do nome Kadette. A mais cabulosa dizia que o carro foi batizado por um gaúcho, que ao presenciar um teste do modelo do carro ficou impressionado com a velocidade. O automóvel havia passado tão rápido pela pista que ele o perdeu de vista, perguntando aos engenheiros ali presentes: Cadê, tchê? Já uma outra teoria dizia que o carro - também na fase de testes - sofreu um grave acidente, capotando várias vezes. Um sujeito que passava perto apenas exclamou embasbacado com a cena: Caceeeete! Teorias, apenas.


1 comentários:

Italo Castro disse...

Confesso que ao assisti o comercial, que foi minha primeira vez, só consegui imaginar vc tentando fazer o rá rá rá rá kkkkkkkkkkkk