segunda-feira, 19 de abril de 2010

Sky | Vire especialista em futebol

E enquanto a Copa da África não chega, tenho algumas observações que envolvem os novos comerciais da Sky. Primeiro, o futebol. É mais que cientificamente comprovado que o esporte de Charles Miller vende como água no deserto, e as marcas de ponta sabem disso - e por isso, fazem seus comerciais com o futebol como pano de fundo, de frente, de lado... O problema é fazer propaganda decente. Aí o buraco é bem mais embaixo - bem mais embaixo.

O comercial da BV Financeira, com o Ratinho e a Milene Domingues por exemplo, beira o trash, ainda que eu tenha quase certeza que é tudo friamente pensado. A ideia é ser escrachado mesmo, é ficar na boca do povo, ser comentado - ainda que pela sua forma bizarra. Em contrapartida, muitos outros anunciantes fazem coisas boas e são igualmente lembrados. É o caso da Skol (comentado aqui semana passada), os cartões de crédito, a indústria automobilística, os materiais esportivos - óbvio -, as editoras de revistas e claro, tevês por assinatura. E é aí que eu queria chegar. Quero falar do novo comercial da Sky.

A Sky, ultimamente, vem cagando em seus comerciais - também deve ser de propósito. O Giba é excelente em seu papel - e não me refiro ao de atacante da seleção de Bernardinho. O nosso camisa 7 tem um enorme carisma, mas os roteiros que vem recebendo acabam com qualquer garoto-propaganda. Destaco os filmes em que ele contracena com o amigo Gustavo e aquele onde o time inteiro de vôlei brinca com a altura do levantador Marcelinho. E já que é para ser chato, também não gosto daquela assinatura em que a top Gisele está sentada num sofá, olha pra trás e diz rapidamente: "Sky. High Definition é isso." E então volta a olhar para a televisão. E olha que a Gisele vende tão bem quanto o futebol, a água no deserto, etc.

Agora repare nesses filmes com Romário e Pelé que estrearam ontem a noite. Neles, Bündchen mostra aos ex-jogadores o que deveriam ter feito em famosos lances de quase gol das Copas de 70 e 94. Sensacional! A sacada dos comerciais é divertida, imprevisível e mexe com a maior paixão dos brasileiros em uma época extremamente propícia. E mesmo que o "Baixinho" e o "Rei" não sejam os melhores amigos do mundo, a escolha dos dois foi de uma enorme felicidade - são dois ícones incontestáveis do esporte mais popular do planeta.





Voltando aos filmes ruins, ainda acho que, se tudo for feito de caso pensado, tudo bem, não tenho nada contra. É apenas uma estratégia e tem lá seus objetivos bem definidos. O que não entendo direito é ver, depois de vários filmes toscos da Sky, um que se desprenda completamente do contexto. Não está faltando um pouco de coerência aí? Só espero que os caras da Giovanni + DraftFCB não estejam lendo isso.

Veja também:
:: Pelé mandando melhor que Romário
:: Romário mandando melhor que Pelé

Free Image Hosting

0 comentários: