sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Free Image Hosting

Quantas leituras você faz de um texto?

As aspas abertas de hoje têm uma boa razão, apesar da ciente responsabilidade de tocar em um assunto extremamente delicado. Por isso, a pergunta é: quantas leituras você faz de um texto? Se acha que é apenas uma, convido-o a repensar o seu ponto de vista. Segundo minhas observações nesses últimos 28 anos, nós fazemos, ou pelo menos, devemos fazer, três leituras de qualquer texto que corre por nossos olhos. Permita que eu disserte melhor a respeito.

A 1ª leitura. Obviamente, é essa mesmo que você imaginou, é a decodificação das palavras. Você lê “casa” e entende que é uma casa. Um bom exemplo é imaginar uma criança de 8 anos lendo alguma coisa, ela desvendará palavra por palavra, bem pausadamente. Agora acredite, muitos adultos no Brasil leem assim, algo em torno de 75% da população. São os já populares analfabetos funcionais.

A 2ª leitura. Também conhecida como interpretação de textos. Basicamente, é ler o artigo/reportagem/nota/post/matéria/charge e saber resumir mentalmente o que foi escrito. Parece simples, mas requer absurda atenção dos mais destreinados. Se você lê alguma coisa e precisa reler para entender direito, posso afirmar que você ainda não tem a terceira leitura. Uma boa dica para treinar essa leitura é, após ler o texto, contá-lo para alguém. Nosso cérebro armazena melhor informações revisadas em até 48 horas após terem sido contraídas.

A 3ª leitura. Essa é o que vai separá-lo da multidão. É ler, decodificar, interpretar e saber para qual fim aquele amontoado de letras existe. É sem dúvidas, a mais difícil e excitante das leituras, por isso, vamos a um exemplo prático, e para isso, peço a licença de usar mais de um parágrafo.

A Folha de S. Paulo publicou recentemente uma página em que do ex-guerrilheiro César Benjamin, o “Cesinha” conta que ouviu de Lula que, quando ele – o atual presidente - foi preso, tentou estuprar um garoto com quem dividia sua cela. Passadas as duas primeiras leituras, veja o que eu traduzi. “O partido de Lula é favorito ao terceiro mandato. Pessoas importantes não querem isso. Falta menos de um ano para a decisão. Deve-se começar um ataque. Esse ataque deve ser gradual. Um artigo na Folha é um bom começo”.

Ainda na arena política, a Veja dessa semana tem um exemplo perfeito dessa terceira leitura. A revista diz que o filme “Lula, o filho do Brasil”, é uma emocionante propaganda do Governo para se manter no poder por mais quatro anos. Agora a minha pergunta é outra: você tem sido eficiente nas terceiras leituras do que tem lido?

Os textos mais badalados e escritos por grandes nomes é a melhor forma de começar, pois você terá mais fontes para conferir sua resposta. A questão é que, do jeito que as coisas andam, não vai sobrar espaço para quem lê apenas 66,6% de qualquer coisa. A Internet cada vez mais visual é um barato, mas engana. Acredite, até este despretensioso post tem a sua terceira leitura.

Fontes: IBOPE Blig do Gomes

0 comentários: