terça-feira, 30 de junho de 2009

Filme com publicitário: A Estranha Perfeita

Posso dizer que esse não é meu estilo preferido de filme, mas também não posso negar que é um baita filme. "A Estranha Perfeita" é mais um dessas produções bem dirigidas que tem como pano de fundo o sexo virtual. O que faz valer a pena assistir então? O fato de Bruce Willis ser um publicitário na trama. Tudo bem que estamos falando de um publicitário bem-sucedido, egocêntrico e igualmente pervertido, mas antes, vamos falar da protagonista.

Rowena (Halle), é uma linda jornalista que escreve uma matéria bombástica sobre um político homosexual. Devido aos seus bons contatos dentro do jornal, o senador consegue vetar a matéria desiludindo profundamente Rowena, que acaba pedindo demissão. Logo em seguida, ela é procurada por uma amiga de infância, Grace (Nicki Aycox), que diz ter tido um caso com um famoso publicitário, que a abandonou. EM busca de vingança, Grace entrega à amiga cópia de vários emails que trocou com seu amante. Isso serviria para fazer uma matéria e denunciá-lo.

Dias depois, a moça é encontrada morta. De posse de todos os e-mails trocados entre a amiga e Harrison Hill (Bruce Willis), Rowena decide investigá-lo para provar que ele tem culpa no assassinato. Com a ajuda de um colega especialista em informática, Miles (Giovanni Ribisi), ela consegue um emprego na agência do publicitário e passa a frequentar as salas de bate-papo na Internet onde Grace conheceu o amante.

No anonimato da Internet, Rowena e Hill vivem as mais tórridas fantasias sexuais. Uma situação que desperta um desejo mais verdadeiro nela, que passa a questionar se ele é mesmo o assassino. Os dois acabam iniciando um romance. Ao mesmo tempo, à medida que convive com o ex-amante de sua amiga, a jornalista percebe que existem outras pessoas que também podem ter cometido o crime. Com vários suspeitos, o roteiro se desenrola em um clima de tensão e repleto de pistas falsas para tentar enganar o espectador. O final é fantástico.

Como sempre faço nessa seção, vamos analisar o publicitário que é construído ao longo da história. Sem dúvida, é um cara com senso de humor na medida certa, um verdadeiro especialista em trocadilhos. Ele bajula seus grandes clientes, vende sua agência como ninguém e chega ao ponto de ser elevado ao nível de “anjo especial”. Sim, o nosso publicitário ama o dinheiro, solta suas frases feitas a todo momento e forja a sinceridade. É a velha lei do universo: matar ou tornar-se irrelevante.

O trecho que eu quero destacar não fala sobre nossa profissão, vai além e retrata as pessoas em busca de uma segunda vida. “Começa ao ligar, com uma convidativa tela vazia. “Entre”, diz ela, estamos sempre abertos. Acredita-se que seja um mundo onde os atos não tenham consequências, e a culpa é ocultada pelo anonimato e sem impressões digitais. Um universo invisível, cheio de estranhos, interconectados on-line e desconectados da vida. Ele roubará seus segredos, corromperá seus sonhos e cooptará sua identidade. Nesse mundo, onde você pode ser o que quiser, quem você quiser, você pode acabar se esquecendo quem você realmente é”.

Elenco:
Halle Berry | Rowena Price
Bruce Willis | Harrison Hill
Jason Antoon | Bill Patel
Giovanni Ribisi | Miles Haley
Daniella Van Grass | Josie
Jay Wilkison | Jesse Drake
Nicki Aycox | Grace
Maya N. Blake | Rowena Price - jovem
Nadine Jacobson | Grace - jovem
Deirdre Lorenz | Veronica
Paula Miranda | Mia Hill
Alexandra Zhang | Kendra
Richard Portnow | Arvis Narron
Jane Bradbury | Toni
Jared Burke | Keneth Phelps
Gary Dourdan | Cameron
Tamara Feldman | Bethany

Título original: Perfect Stranger
Direção: James Foley
Gênero: Suspense
Origem: Estados Unidos
Ano: 2007
Duração: 109 minutos
Estúdio: Revolution Studios
Trailer: clique aqui
Site: clique aqui

:: Nota do blogueiro: 8.1
Por quê? Apresenta o publicitário cosmopolita - o mais fácil de se decodificar. Tem uma cena muito mal dirigida e não aproxima os personagens do público. É possível tirar uma boa conclusão: o publicitário que trabalha numa das maiores agências do mundo é realmente um ser estranho, um estranho quase perfeito.

1 comentários:

kArEn disse...

Irei assistir