sábado, 27 de junho de 2009

Cuidado com a cola na ratoeira

Quando eu falo em simplicidade complexa, me refiro a algo muito próximo disso. Criada pela DDB da Alemana, a peça para a cola instantânea Pattex é de uma criatividade quase inocente que me faz lembrar a essência da boa propaganda que eu me refiro na descrição do meu perfil aí ao lado. Mas atenção, eu disse "quase". Explico melhor no texto após o anúncio - mas só leia se estiver com saco.
Free Image Hosting
Quero compartilhar um raciocínio que vi hoje a tarde enquanto assistia o clássico "Clube da Luta", com Brad Pitt e Edward Norton. "A propaganda põe a gente para correr atrás de carros e roupas. Trabalhar em empresas que odiamos para comprar merdas inúteis. (...) Fomos criados através da TV para acreditar que um dia seremos milionários ou estrelas de cinema. Mas não somos. Aos poucos tomamos consciência do fato".

Você, estudante de publicidade que me lê agora. O que diabos você pensa disso tudo? Você quer ser publicitário para ser o quê exatamente? Ser mais um escravo de colarinho branco, ter dinheiro, ter prestígio, ter um troféu, proliferar clichês, fazer uma revolução espiritual ou ter apenas um emprego que lhe garanta uma aposentadoria decente? Você já assistiu "Edukators - Os educadores"?

Sim. Isso é uma pequena amostra do que conhecemos como psicologia barata, eu diria que vai um pouco mais além. É um exercício bobo e um tanto incivil, mas que deveria ser feito entre um roteiro e outro - pelo menos. Você pode pensar um monte de coisas, a única coisa que você não pode fazer, é não pensar. Lembra? Trabalhe também com a hipótese de Deus não gostar de você. É muita bobagem imaginar um mundo perfeito, nesse mesmo Clube da Luta, uma das falas de Brad Pitt diz: "Assassinato, crime, pobreza. Essas coisas não me interessam. O que me interessam são revistas de celebridade, televisão com 500 canais."

Pense. Você pode até gostar do que faz dentro de uma agência de propaganda, mas esteja ciente do que sua profissão propõe às pessoas "normais". Não ignore a possibilidade de tudo o que produz, lê ou assiste sobre esse assunto ser apenas um produto que as pessoas gostam de comprar. A nossa seção "Filme com publicitário" está cheia disto. Muitas coisas entram e saem de moda sem que a grande maioria perceba. Quase todo mundo quer ser perfeito e completo, por isso, a mensagem aqui é bem clara: cuidado com a cola na ratoeira.

6 comentários:

Mestre Zen disse...

O Ministério da Saúde adverte: Clube da Luta e reflexão demais fazem mal a sua saúde mental. ;] huahauhaha

kArEn disse...

É bom ler isso, nos faz pensar..
=)

Anônimo disse...

vivemos em uma sociedade alienada, consumista e que da pouco valor para o que realmente tem valor, claro q a sociedade em si empoe valores, impoe o consumismo em geral porem vai de cada um saber o limite, saber discernir o que e fabricado e imposto do que realmente e necessario, saber discernir o certo do errado, o exagerado do aceitavel, quando a maioria tiver esta consciencia iremos sentir a cola da ratoeira passando bem longe de nos.

Gualter Mariano

Airton disse...

opaa
nossa o filme de brad pitt eh foda msm se para pra pensa tem uns toques do mundo publicitario interessantes hehe



passa la nu blog..hj falei de personagens de cinema insolentes

http://publicandobr.blogspot.com

KOLA disse...

SEUS DIAS DE FARTURAM ESTÃO ACABANDO

Bob do Mundo Cãoporativo disse...

bem pensado...