sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Propagandas que embalaram minha infância: Formiguinhas da Philco

Em 1995 eu tinha 14 anos anos, já não era tão criança assim, mas posso dizer que esse comercial ficou imortalizado em minha memória. Refiro-me ao filme da Philco com as formiguinhas serelepes que se divertiam ao serem arremessadas pela potência das caixas de som da linha Apllause.

Criado pela F/Naca e produzido pela Zero Filmes, a trilha sonora era simplesmente excelente. Dentre os principais prêmios que a peça levou, destaco o Leão de Ouro no Festival de Cannes e Grand-Prix de Mercado no Profissionais do Ano. Em síntese, têm comerciais que só a Philco faz pra você.

Lendo o texto de Nelson Varón Cadena sobre o filme no site Almanaque da Comunicação, descobri que “Formigas” liderou por um tempo o ranking de “recall”, incomodou protetores dos direitos dos animais e até motivou trabalhos acadêmicos, dentre eles, um estudo apresentado na Intercom pela pesquisadora Letícia Maria Pinto da Costa, da Universidade Metodista. O trabalho visava analisar a memorização do anúncio com base na Teoria de Aprendizagem da Mensagem de Carl Hovland.

A tese destaca os pontos altos do comercial, o impacto junto ao receptor, o clímax e anti-clímax para concluir que há um desvio de atenção. Pesquisa de campo realizada pela acadêmica, anos depois da veiculação, mostrou que as pessoas lembravam do comercial, sabiam que o produto era um aparelho de som, mas não o associavam à marca.

A questão é que no tempo em que os filmes foram veiculados, obtiveram-se resultados mais do que favoráveis para o cliente que multiplicou suas vendas.


1º filme - 1995


2º filme - 1996

3 comentários:

Carlos Henrique Vilela disse...

Luciano, tudo bom? Parabéns pelo blog. Excelente. Coloquei um link no meu blog, inclusive.

passa lá: http://chmkt.blogspot.com/

abs

Naay Bäck. disse...

fhurhguhtuhgu...

Não me lembrava dessa propaganda, coisinha mais titiquinha essas formihuinhas hguhtugh...


Beijos

Helena disse...

Nossa essa lembrou MUITO minha infância era uma das minhas preferidas !!! Arrassou ! Recordar é viver ;-)