domingo, 28 de setembro de 2008

Eu não tenho ídolos

Quero abrir um pequeno parênteses aqui para compartilhar uma opinião que formatei nesse último fim de semana. Perdoem-me se foge do nosso assunto principal, mas acredito que de vez em quando, parar e pensar ajuda muito mais do que parece. Hábitos.

Publiquei recentemente aqui no blog minha opinião sobre uma palestra “motivacional” que assisti no IEL, e para finalizar o texto citei Roberto Shinyashike. O curioso foi que nesse último sábado a noite – enquanto prestigiava o show da banda Vanguart no SESC Arsenal aqui em Cuiabá – fui abordado por um amigo que lê esse simpático blog. Ele disse ponderadamente algo como:

“Leio seu blog, gosto dele. Não concordo com essa coisa abstrata do Roberto Shinyashike. Sou muito cético pra isso, mas respeito sua opinião. Cada um acredita no que bem entende.”
Eu não respondi nada, mas mentalmente aquilo me fez pensar por um bom tempo “pós-show”.

Sei que algumas pessoas que navegam por aqui têm seus “sítios” ou exercitam a escrita de outras diversas maneiras. Veja como é importante cuidar com o que se faz com um teclado nos dias de hoje. Tenha noção que seus textos moldam você, ajudam a criar sua identidade. O fato de eu ter citado achar melhor ficar em casa lendo Shinyashike a ver uma palestra motivacional sob outro tema não significa que eu penso como o livro. Foi apenas um exemplo baseando-se na falta de coerência do tema da palestra.

Essas segundas leituras devem ser sempre levadas em consideração. Eu não vejo como ídolo um cara como Roberto Shinyashike. Para ser bem sincero, também não acredito muito nesse negócio de ídolos. Não acredito em nada que não tenha um mínimo de matematização para comprovar sua veracidade. Eu não acredito nesse papo de sobrenatural, de profecias, de destino, de sexto sentido...

As pessoas tendem a marginalizar quem vai contra algumas idéias digamos “populares”. Não me importo com isso, só vou tomar mais cuidado para não por isso nos textos que escrevo. É o meu modelo moderno de ciência de levar a vida.

0 comentários: