segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Abre Aspas - Brasil Olímpico

Para quem não entendeu essa nova categoria de posts que eu criei por aqui - o Abre Aspas, trata-se de uma forma que encontrei para comentar algo que fuja do mundo dos reclames.

Como seria completamente inviável criar um novo blog, resolvi abrir aspas de vez em quando e falar o que penso de forma rápida e sucinta. Na verdade, meu objetivo é fazer com que os amigos e colegas de profissão entendam o que eu penso e também desenvolvam sua opinião a respeito. Pois bem! Tem um assunto que vem me incomodando há algum tempo e por alguma razão, julguei valer a pena ser expressado por esse publicitário aspirante a escritor.

Com o espírito olímpico que tomou conta de todos nas últimas duas semanas, é inevitável não formar uma opinião quando conferimos a posição do Brasil no quadro geral de medalhas. Veja o resultado final dos Jogos Olímpicos de Beijing na tabela abaixo:

O que penso ao ver o Brasil em 23º - mesmo tendo levado à China, uma das maiores delegações dentre os 204 países que participaram dos jogos - é que tem alguma coisa errada. Já é meio clichê falar isso, mas o fato de não termos um programa olímpico pesa, e muito.

Sempre gosto de destacar a Austrália, que tem pouco mais de 20 milhões de habitantes e ocupa uma honrosa sexta posição no quadro geral de medalhas, com 14 ouros. Sinceramente, eu não gosto desse papo de colônias de exploração e povoamento, e é por isso que me irrita profundamente o simples fato de não termos competência para nos organizar e se apresentar com decência num jogos olímpicos.

Somos candidatos a sediar as Olimpíadas de 2016 certo? E você sabe quanto a Comissão Mista de Orçamento da Câmara aprovou para custear as despesas com a candidatura do Rio de Janeiro? 85 milhões de reais. Atenção, esse valor é apenas para o relatório. Daí vem a pergunta: Temos dinheiro para tirar as pessoas da miséria e transformá-las em atletas olímpicos?

O cálculo para se formar um campeão olímpico é de aproximadamente R$ 1 milhão. Daí uma outra pergunta é inevitável: Nossa prioridade deveria ser um eficiente programa olímpico ou sediar uma Olimpíada e viver alguns dias de falso glamour? Temos os Jogos Pan-Americanos de 2007 como um excelente exemplo. Ali, foi investimento nada mais, nada menos que R$ 3,7 bilhões (800% acima do que os previstos pelo COB), e qual foi o legado deixado por aqueles Jogos? Eu adianto: O Parque Aquático Maria Lenk vive as moscas e nosso desempenho nesses Jogos Olímpicos foi abaixo do que conseguimos em Antenas 2004.

Fiquei marcado com uma entrevista que vi na ESPN Brasil durante os jogos, onde o repórter perguntou a alguns chineses que assistiam provas de natação no Cubo D´Água, se eles sabiam quantas medalhas de ouro o Brasil já havia conquistado até então. Na média, eles responderam 10 medalhas. E de alguma forma, isso era o mínimo que deveríamos ter feito. Minha conclusão: O mundo esperava mais do Brasil.

Fontes:
Wikipédia - Site Câmara dos Deputados .
- Globoesporte.com

0 comentários: