domingo, 8 de junho de 2008

Rivalidades nunca morrem

Antes de mais nada, assista ao vídeo:


Tradução:
"Rivalidades nascem,
mas elas nunca morrem.

Rivalidades continuam.

Os nomes ou a história podem mudar,
mas o sentido permanece.

O que importava tanto lá,
continua importando agora.

Rivalidades nunca morrem."


Escrevo este post enquanto assisto ao segundo jogo da fantástica final da NBA - de um lado, o poderoso Los Angeles Lakers, do outro, nada mais nada menos que os Celtics de Boston. Mas não vou me arriscar a dar minha análise sobre o jogo, já que sou um perfeito leigo nesse esporte. Só assisto quando chegam as finais porque gosto das propagandas e a forma como os norte-americanos sabem fazer do basquete, uma fórmula inteligente para vender seus produtos e estilo de vida aos 42 países em que o campeonato é transmitido.

Pois bem, enquanto assisto série final, vi esse comercial formidável que trata a rivalidade entre Lakers e Celtics. Usando dois ícones dessa emulação enraizada na cultura daquele país, o vídeo mostra o rosto do mitológico Magic Johnson dividindo a tela com outro monstro do esporte: Larry Bird.

Talvez inspirado no primeiro teaser de "A favorita", a idéia é evidenciar aos expectadores que a rivalidade entre os times jamais morre. E pelo que estou acompanhando, Kobe Bryant e Paul Pierce estão se encarregando perfeitamente de sustentar a lenda.

Para quem não sabe, o logo da NBA (National Basketball Association) é feito de acordo com a efígie de Jerry West, grande armador dos Los Angeles Lakers nos anos 60.

Um ponto curioso desse filme é a repercussão que ele gerou, sendo "reproduzido" usando as faces de Barack Obama e Hillary Clinton na capa da revista Time, "simplesmente" uma das mais importantes do mundo.

0 comentários: