segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

O Lequetreque da Sadia

Fim de ano chegando, festas, amigos secretos, confraternizações, especiais de natal pra todo lado, mas eu – e posso dizer que todo publicitário apaixonado pela profissão – pensa logo em qual campanha vai valer a pena comentar no bar enquanto observa o layout do cardápio e pensa se aquele atendimento é conseqüência do plano de marketing daquela espelunca. Mas não vamos focar em nada muito contemporâneo, vamos apenas falar de um dos maiores ícones da propaganda brasileira: o Lequetreque.

A idéia nasceu em 1971, isso mesmo, há mais de três décadas atrás. Criado pelo publicitário Francesc Petit, simplesmente o “P” de DPZ, e também por um tal de Washington Olivetto. O conceito é muito simples, mas também muito inovador para a época. Como havia o paradigma de que comida de microondas, apesar de rápida, não tinha sabor, a agência criou um garoto-propaganda que se assemelha muito com o papa-léguas. Mas essa é exatamente a idéia que se queria transmitir: Não era preciso usar um microondas para saborear um prato em pouco tempo. O resultado disso? O frango veloz da Sadia, ou se preferir, o Lequetreque.

Eu não poderia cometer a indelicadeza de não citar o meu amigo engenheiro Sérgio Santos nesse post, afinal de contas, é graças a ele que estou escrevendo e pesquisando sobre esse grande mito. Entramos há alguns dias numa pequena discussão sobre a autoria do frango de capacete e óculos de motoqueiro, mas como é difícil um são-paulino e um corintiano entrarem num consenso, o assunto acabou aqui, no Louco não, publicitário!

Voltando ao ícone, uma curiosidade foi que na época da sua criação, o nome do personagem símbolo da marca, foi democraticamente escolhido num concurso aberto aos consumidores. Vale citar também a evolução que o desenho sofreu ao longo dos mais de 30 anos de sucesso entre os brasileiros. Hoje, o simpático Lequetreque é uma sofisticada animação em 3d que levou praticamente um ano para ser desenvolvida.

Em 1997 foi criada a Linha Clubinho da Sadia, que tinha o objetivo de aproximar a marca do público infantil. Os profissionais de marketing da Sadia e a DPZ não tiveram dúvidas em quem deveria ser o personagem principal dessa estratégia, ele mesmo, o Lequetreque. Usado em toda a comunicação visual das embalagens dos produtos e em ações que divulgavam a linha infantil.

Mas ao contrário do que muitos pensam, esses esboços ao lado não foram feitos pelo pelo Petit, e sim pelo desenhista Daniel Messias, que nos anos 70 e 80 trabalhou com o desenvolvimento do personagem. Coube mais tarde ao desenhista Alexandre Calheiros (também conhecido como Caldeirão) reformulá-lo nas cores que valem até hoje.

Na sequência, disponibilizo uma jóia rara da nossa propaganda. Trata-se de dois comerciais veiculados na época da criação do personagem, um ainda na TV preto-e-branco, e o segundo, numa campanha de sustentação já em TV colorida.


Aos que se interessaram no assunto e querem conhecer mais sobre esse personagem, recomendo uma visita ao site da DPZ e da Sadia, lá você encontra algumas curiosidades e confere toda a história.

1 comentários:

Júlia Monteiro disse...

Gostei muito. =D