domingo, 2 de setembro de 2007

Um náufrago barbeado e algumas cabeças diferentes

Fazia um bom tempo que eu queria comentar por aqui duas propagandas bem especiais. Sabe como é, aquelas que nos fazem refletir enquanto tomamos banho ou trocamos de canal sem prestar atenção na televisão. Basicamente quero falar da essência da coisa toda, nada muito explícito, mas não poderia deixar de passar pelos olhos atentos de qualquer publicitário crítico. Vamos aos casos então, comentarei na sequência de cada filme para ficar mais claro, ou se preferir, menos confuso.

Este é o primeiro comercial que a W/Brasil criou para o Comfort 3, da Bic. Pegando uma carona no filme Náufrago, a idéia é mostrar um sujeito (que não é o Tom Hanks) perdido numa ilha deserta, muito provavelmente um náufrago que tem um pequeno alívio ao encontrar uma caixa contendo um barbeador. Porém, feliz após fazer a barba, ele vê sua "sorte" mudar ao ser encontrado por um helicóptero. O que ele não esperava é que o piloto fosse duvidar da sua situação, já que o sujeito encontra-se de barba feita e apenas curtindo a ilha deserta.

Não podemos negar que é uma bela idéia, mas o que me incomoda um pouco é imaginar o que o nosso náufrago pensou após a frustração de ver o helicoptéro ir embora: Maldito barbeador! Ou coisa pior é claro, mas certamente ele se arrependeu de usar o "incrível" Comfort 3. Claro que isso é apenas uma interpretação pessoal, mas tem lá seu sentido, e querendo ou não, foi uma impressão que a propaganda deixou, pelo menos pra mim. Obviamente isso não faz do comercial um desastre, muito pelo contrário, ele é engraçado e muito bem feito, só acho que não poderia passar em branco esse tipo de observação.

Agora vamos ao segundo caso, assista ao filme e eu continuo na sequência.

Esse já conhecido comercial do Ford Focus é um bom exemplo da falta de coerência que as vezes aparece na nossa publicidade. Para deixar bem claro minha opinião, primeiro vou transcrever o texto do filme:

"Eu faço parte de um grupo de pessoas
que não fazem escolhas óbvias.
Enquanto a maioria quer o que é modinha,
nós queremos o que dá vontade.
Enquanto a maioria vai aonde todo mundo vai,
nós vamos aonde é mais bacana.
Se você também tem uma cabeça diferente,
deve dirigir o mesmo carro que eu.
Ford Focus. Nada nele é óbvio."

Você prestou bastante atenção nessa última frase antes da assinatura? "Se você também tem uma cabeça diferente, deve dirigir o mesmo carro que eu." Ora bolas! Quer dizer que se você é diferente, obrigatoriamente deve ser igual a mim? Isso não está um tanto quanto estranho? Eu já estava convencido que ser "Maria vai com as outras" não era legal, e no final o comercial me manda fazer o que ele quer. O raciocínio lógico não deveria ser o seguinte, se você tem mesmo uma cabeça diferente, faça o que der vontade, e ponto final.

3 comentários:

marketrix disse...

Engraçado, Luciano, que desde a primeira vez que eu assisti ao vídeo do Focus achei ele muito louco. Não pelas cabeças engraçadas, mas pelo fato de querer ser diferente e acabar sendo igual - ou pior - que a maioria. Se você quer se destacar, sair do meio do bolo, da massa, não pode fazer generalizações. Haja falta de percepção...

Abs,
Luciana

Lorde da Insanidade disse...

Sem contar que na minha opinião poderia rimar melhor. Em todo o comercial ela fala de "nós": "enquanto todo mundo vai no mesmo lucar A GENTE vai onde é mais bacana"...e no final ela fala de "eu"...não achei legal e tive a mesma impressão que você...se é pra ser diferente, que seja diferente...

Bárbara disse...

Putz...

Essa das cabeças diferentes realmente foi uma aberração...
Tipo, vc serah diferente ser for igual a mim!!
Sem lógica!

Amei o comentário!!!

BjO de uma
ex-futura-quase-publicitária...