sábado, 11 de agosto de 2007

Toda censura é burra

Depois de alguns pedidos e muita enrolação da minha parte, disponibilizo aqui os filmes da Associação Brasileira de Propaganda que protestam contra as censuras na propaganda brasileira.
Quem assina as peças é a Giovanni+Draftfcb.

Além desses três filmes, foram produzidos também quatro spots, mídia exterior, mídia impressa, camisetas, adesivos e ações na Internet que incluem hotsite, canal exclusivo no YouTube e comunidade no Orkut.

O hotsite é também uma ferramenta para a realização de um abaixo-assinado contra a censura, e no canal exclusivo do Orkut pode ser postado vídeos sobre o assunto. Se você gostou dos filme, garanto que vale a pena conferir.


Lápis


Banana


Bola

6 comentários:

Wolf_o_Vermelho disse...

E estes VT's também são burros. Censura pode ser burrice, principalmente pela construção histórica do termo "censura" que temos hoje, mas se tudo for permitido, publicitários e comunicadores fazem muita coisa burra e estúpida, guiados por dinheiro, preguiça e falta de comprometimento com a sociedade que eles ajudam a formar. Não acha?

Anônimo disse...

Concordo em gênero, número e grau meu caro wolf_o_vermelho. Nesse mesmo blog já foi comentado peças que nunca deveriam sair das salas de brainstorm. Mas como acontece em quase todo negócio, existem os bons e os medíocres.
Sinceramente acho que os vídeos remetem à proposta que quiseram passar, até porque, tem muita propaganda que não merece ser censurada. Mesmo assim, obrigado pela opinião, é sempre muito bem vinda e nos faz refletir sobre o que está acontecendo.
Abraços!!!
Luciano

LUANA disse...

carambaaaaa!!!

se com "TOOOOOOOOOOOOOOOOOOODA ESSA CENSURA" aparecem coisas absurdas em todo tipo de anÚncio publicitário interesseiro, que não acrescentam informação em absolutamente nada a quem realmente busca qualidade de informação,oq será q vai apararecer nos anúncios por aí numa "era não censura"??!!
não qro pagar pra ver...
a publicidade anda livre até demais!

ME INSTIGA CURIOSIDADE O FATO DOS GRANDES PUBLICITÁRIOS LUTAREM TANTO PELOS DIREITOS DA INFORMAÇÃO LIVRE DE SEUS ESPECTARORES...
QUE TIPO DE INFORMAÇÃO QUEREM ESTAR TÃO LIVRES PRA JOGAR SOBRE CERTAS CABEÇAS DE PROPRIEDADES ESPONJOSAS???????!!!

AS PESSOAS ESTÃO SE ACOSTUMANDO A ACREDITAR QUE A INFORMAÇÃO DEVE, E É REALMENTE PASSADA SEM NENHUM INTERESSE SUBLIMINAR POR PURA COMODIDADE MESMOOOO...
ACREDITANDO NISSO NÃO HÁ ENCOMODOS EM SE QUESTIONAR E BUSCAR O REAL CONHECIMENTO...
CAPACIDADE CRITICA ZERO...ACEITA QUALQUER COISA!!!


DAÍ ENTÃO, OLHA-SE PRO MUNDO ALTAMENTE INDIVIDUALISTA PRA NÃO HAVER DÚVIDA DE QUEM É "VIVO" SE APROVEITA DA BURRICE ALHEIA!!!

arqeco disse...

Protesto veementemente contra o comercial da Associaçao Brasileira de Propaganda.

Pode-se vê-lo neste site: www.censuraburra.com.br

Neste comercial, um (falso) apresentador de comercial apresenta um (falso) comercial da banana. Sim, da fruta banana.

Fala um grande número de tolices.

Afinal, despreza a banana, uma fruta maravilhosa, criação de Deus.

Fonte de saúde e trabalho para milhões de pessoas .

O crime da banana? Ela não é bancada por nenhuma indústria. Nenhum cliente rico vai pagar por uma campanha (verdadeira) da banana.

E este comercial ainda afirma que "toda censura é burra".

Mas, como assim "toda censura é burra"?

Se seu filho for enfiar o dedo na tomada elétrica você não vai censurar?

Não é preciso censura? Nenhuma? De nenhum tipo?

Rios de dinheiro público são gastos em tratamentos de saúde para vítimas da violência e do trânsito.

E as vidas perdidas e mutiladas? Incontáveis e irreparáveis.

Na televisão o que mais se vê são propagandas de cerveja e de carros. Muito bem produzidas, estas propagandas são fascinantes para as mentes jovens.

Nas de cerveja, mulheres belíssimas praticamente se oferecem para o homem que bebe a tal cerveja.

Nas de carros, o homem ou mulher bem-sucedido dirige em altissima velocidade o tal automóvel oferecido.

Reparem que as propagandas de carros exibem veículos em alta velocidade. Por falta de criatividade só mostram isso: a emoção da alta velocidade.

Adivinhem qual país é o recordista mundial de acidentes de carro? Isso mesmo, o Brasil.

As propagandas de cerveja, como as de carro, costumam sempre repetir o mesmo roteiro:

"Bar. Felicidade. Muitas pessoas jovens e bonitas. O bebedor já está consumindo ou chega para consumir a cerveja tal. A mulher mais bela do lugar dirige toda sua atenção para ele. Mensagem dizendo que quem bebe aquela cerveja sempre se dá bem."

Todos os estudos provam que o álcool é um dos elementos mais associados à violência.

Adivinhem quem é um dos campeões mundiais de violência... Isso mesmo, o Brasil.

Recomendo a todos a leitura da nova Política Nacional sobre o Álcool:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2007/Decreto/D6117.htm

Sim, a "cervejinha" (no diminutivo, com a mesma inocência com que se diz: criancinha) é droga!

E os publicitários - divulgadores da droga, incentivadores do consumo da droga - não aceitam nenhuma censura: nem de fora, e pior, nem de dentro.

Pode ser que eles não tenham alma, mas pelo menos uma semente de alma devem ter, pois são filhos de Deus, ainda que não saibam disso.

E esta semente de alma certamente fica lhes dizendo "não faz essa campanha, você não precisa fazer isso". Claro que ela é ignorada.

Lembremos do Padroeiro dos Publicitários, o nazista Josef Goebbels, Ministro da Propaganda de Adolf Hitler, que disse "A propaganda jamais apela à razão, mas sempre à emoção e ao instinto."

É apenas o instinto de ganhar muito dinheiro que instiga absurdos publicitários, induzindo a juventude (e as outras idades) ao vício, ao supérfluo, e à destruição da sociedade em nome de vender mais.

Outra célebre frase de Goebbels parece ser a mais perfeita definição da propaganda: "Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade".

O MAL EXISTE. E precisa ser censurado.

Muitos publicitários não tem ética, por isso precisam SIM ser censurados.

Arrogante, estúpida e prepotente, esta infeliz campanha da ABP.

Não tem idéias?

Pois lhes dou uma idéia (ou, quem sabe, uma penitência):

Façam uma campanha ensinando as pessoas sobre como evitar doenças comendo frutas, como a maravilhosa criação de Deus, a banana.

Ou então continuem fazendo a cabeça das pessoas para comer alimentos industrializados saborosos, mas péssimos para a saúde, para o júbilo dos indústrias de alimentos e, óbvio, das indústrias de medicamentos, grandes financiadores da indústria do mal: a propaganda (do mal).

E viva os publicitários do BEM: Tão raros... Tão raros... Tão raros...

Márcio Moreira
Designer e Arquiteto
Teresina, PI
arqeco@yahoo.com.br

arqeco disse...

Protesto veementemente contra o comercial da Associaçao Brasileira de Propaganda.

Pode-se vê-lo neste site: www.censuraburra.com.br

Neste comercial, um (falso) apresentador de comercial apresenta um (falso) comercial da banana. Sim, da fruta banana.

Fala um grande número de tolices.

Afinal, despreza a banana, uma fruta maravilhosa, criação de Deus.

Fonte de saúde e trabalho para milhões de pessoas .

O crime da banana? Ela não é bancada por nenhuma indústria. Nenhum cliente rico vai pagar por uma campanha (verdadeira) da banana.

E este comercial ainda afirma que "toda censura é burra".

Mas, como assim "toda censura é burra"?

Se seu filho for enfiar o dedo na tomada elétrica você não vai censurar?

Não é preciso censura? Nenhuma? De nenhum tipo?

Rios de dinheiro público são gastos em tratamentos de saúde para vítimas da violência e do trânsito.

E as vidas perdidas e mutiladas? Incontáveis e irreparáveis.

Na televisão o que mais se vê são propagandas de cerveja e de carros. Muito bem produzidas, estas propagandas são fascinantes para as mentes jovens.

Nas de cerveja, mulheres belíssimas praticamente se oferecem para o homem que bebe a tal cerveja.

Nas de carros, o homem ou mulher bem-sucedido dirige em altissima velocidade o tal automóvel oferecido.

Reparem que as propagandas de carros exibem veículos em alta velocidade. Por falta de criatividade só mostram isso: a emoção da alta velocidade.

Adivinhem qual país é o recordista mundial de acidentes de carro? Isso mesmo, o Brasil.

As propagandas de cerveja, como as de carro, costumam sempre repetir o mesmo roteiro:

"Bar. Felicidade. Muitas pessoas jovens e bonitas. O bebedor já está consumindo ou chega para consumir a cerveja tal. A mulher mais bela do lugar dirige toda sua atenção para ele. Mensagem dizendo que quem bebe aquela cerveja sempre se dá bem."

Todos os estudos provam que o álcool é um dos elementos mais associados à violência.

Adivinhem quem é um dos campeões mundiais de violência... Isso mesmo, o Brasil.

Recomendo a todos a leitura da nova Política Nacional sobre o Álcool:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2007/Decreto/D6117.htm

Sim, a "cervejinha" (no diminutivo, com a mesma inocência com que se diz: criancinha) é droga!

E os publicitários - divulgadores da droga, incentivadores do consumo da droga - não aceitam nenhuma censura: nem de fora, e pior, nem de dentro.

Pode ser que eles não tenham alma, mas pelo menos uma semente de alma devem ter, pois são filhos de Deus, ainda que não saibam disso.

E esta semente de alma certamente fica lhes dizendo "não faz essa campanha, você não precisa fazer isso". Claro que ela é ignorada.

Lembremos do Padroeiro dos Publicitários, o nazista Josef Goebbels, Ministro da Propaganda de Adolf Hitler, que disse "A propaganda jamais apela à razão, mas sempre à emoção e ao instinto."

É apenas o instinto de ganhar muito dinheiro que instiga absurdos publicitários, induzindo a juventude (e as outras idades) ao vício, ao supérfluo, e à destruição da sociedade em nome de vender mais.

Outra célebre frase de Goebbels parece ser a mais perfeita definição da propaganda: "Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade".

O MAL EXISTE. E precisa ser censurado.

Muitos publicitários não tem ética, por isso precisam SIM ser censurados.

Arrogante, estúpida e prepotente, esta infeliz campanha da ABP.

Não tem idéias?

Pois lhes dou uma idéia (ou, quem sabe, uma penitência):

Façam uma campanha ensinando as pessoas sobre como evitar doenças comendo frutas, como a maravilhosa criação de Deus, a banana.

Ou então continuem fazendo a cabeça das pessoas para comer alimentos industrializados saborosos, mas péssimos para a saúde, para o júbilo dos indústrias de alimentos e, óbvio, das indústrias de medicamentos, grandes financiadores da indústria do mal: a propaganda (do mal).

E viva os publicitários do BEM: Tão raros... Tão raros... Tão raros...

Márcio Moreira
Designer e Arquiteto
Teresina, PI
arqeco@yahoo.com.br

Beatriz disse...

Sim, com certeza as Censuras são burras. E normal acharem anúncios exacerbados, mas é aí que notamos o bom senso das pessoas e seu nível intelectual. Não adianta querer proibir, temos o livre arbítrio e devemos usufruir dele. NÃO À CENSURA e SIM À CRIATIVIDADE CORRETA SOBRE AS COISAS. Somos nós quem fazemos os anúncios, devido às nossas vontades, então tenhamos vontades mais críticas e teremos mais anúncios inteligentes.