domingo, 1 de abril de 2007

Sexo verbal

Uma coisa muito comentada é até onde o sexo é pertinente dentro da propaganda. Não quero ser moralista a ponto de dizer que isso é um absurdo, até porque ninguém é cego sobre a influência do sexo nessa nossa sociedade industrializada. Também não gosto de pensar como um liberal inoportuno, que arruma um jeito de botar um par de seios em tudo que é idéia. Sempre gosto do equilíbrio, muito equilíbrio. E nesse caso a seguir, acho que o uso de imagens fortes tem um belo motivo, só me preocupo com a banalização do corpo feminino.


Essa idéia, criada e veiculada na Alemanha, foi obra da agência Jung von Matt para a fundação de um ex-tenista que luta contra a contaminação do vírus HIV em crianças. Na chamada, lê-se: “Sexo oral: apenas 0,003 milímetros de látex dividem a vida e a morte”. É sem dúvidas alguma um apelo fortíssimo, mas como eu disse, vale a pena por tudo que está em jogo - afinal, uma criança que nem veio ao mundo não deveria pagar tão caro pelo erro dos pais.


Nessa outra peça da mesma campanha, o título vem da seguinte forma: “Queixo do vovô, olho do papai, HIV da mamãe”.


E nessa terceira imagem, o rodapé explica que o HIV pode vir junto ao leite materno.

0 comentários: