quarta-feira, 20 de setembro de 2006

É proibido fumar... enquanto é tempo!



As vezes é preciso ir muito além para falar algo tão simples e tão essencial como o simples ato de não fumar. No caso desse anúncio acima, ou melhor, dessa "ação", o que eu percebo é uma forma tão criativa quanto impressionante de se passar a mensagem de que o cigarro definitivamente mata.

No teto de uma área destinada à fumantes foi adesivado uma foto de dentro do túmulo com o buraco ainda aberto. Uma idéia original - e considero idéias assim geniais por vários motivos, talvez o principal seja porque consegue dizer muitas coisas sem que tenham que ser ditas com aquele tom de sermão nada agradável a quem aprecia uma boa tragada.

1 comentários:

luciene disse...

Caro Publicitário,
como consumidora de um produto do mercado nacional e internacional, eu gostaria de lhe dizer algo a respeito do que acho das chamadas campanhas anti-tabagistas. Tais imagens não provocam nos fumantes um horror como vocês gostam, comodamente, de pensar. Acho incrível um país tão desenvolvido na sua área não conseguir apresentar uma abordagem mais respeitosa, inteligente e criativa, a mim falaria de modo muito mais eficiente, imagens de coisas bonitas e interessantes da vida super significativa que vocês tem não fumando. Penso que, atualmente, as campanhas dão a vocês a segura pseudo-tranqüilidade de que estão cumprindo o papel de cidadãos modelos que estão mudando a vida e o futuro da nação. Acho que poderiam ampliar tamanha agressividade para emcamparem campanhas contra os milhares de brasileiros que falam ao celular enquanto dirigem, aliás, seria interessante se vocês lançassem uma campanha para a diminuição dos automóveis particulares dos fumantes e dos não-fumantes que emitem, assustadoramente, o monóxido de carbono do planeta. Ou quem sabe uma campanha sobre as pequenas corrupções do dia a dia que a maioria aceita, as pequenas gorjetas em troca de pequenos favores, como pagar o "guardador de Carros" para que não arranhe o seu automóvel. Ou quem sabe uma campanha para que nenhum brasileiro fodido sem plano de saúde morra, a partir de hoje, por falta de assistência médica. Talvez uma campanha ofensiva, como a ditadura do não fumar, para que ninguém beba mais do que duas latinhas de cerveja por dia, ou se entupa de calmantes para dormir. Que tal : é proibido ter mal gosto musical?
as vítimas dos fumantes não-passivos deveriam pensar em estender a campanha para uma separação total, assumir o seu separatismo,que tal os fumantes vivem à margem esquerda e vocês ocupam o resto do planeta?

Tudo isso me incomoda, no entanto, eu não compartilho de tal ilusão egoísta de que posso escolher pelos outros milhões de adultos que habitam esse planeta.