quarta-feira, 14 de junho de 2006

A marca da copa

Muito bem, chegamos finalmente a 18º copa do mundo de futebol, um super evento de repercussão mundial, visto por mais de 28 bilhões de pessoas entre 9/06 a 09/07 . Mais do que isso, uma grande realização para muitos jogadores, árbitros, torcedores, dirigentes, jornalistas, etc, etc, etc. É copa do mundo, é momento para servir de história para contarmos aos netos, bisnetos. Aquela imensa alegria em dizer onde estávamos nos jogos do Brasil, sempre tem aquela história inusitada que aconteceu durante uma copa do mundo. É mágico, é incomparável com qualquer outra sensação.

Ok, antes de me empolgar mais ainda, quero voltar ao objetivo deste post, quero falar das três gigantes por trás desse maravilhoso evento esportivo, refiro-me as marcas esportivas que estão fornecendo suas tecnologias às principais seleções participantes. São elas as alemãs Puma e Adidas e a americana Nike.



Falarei primeiro da Puma, que é a marca com maior números de seleções, 12 no total, incluindo todas as africanas. Muitos já sabem que o fundador da Puma, Rudolf ("Rudi") é o irmão do fundador da Adidas, Adolf Dassler, também conhecido como "Adi" - Daí o nome Adidas. O que talvez alguns não devem saber é que antes de cada um fundar seu próprio império, eles tinham um empresa em familía na pequena cidade de Herzogenaurach, sul da Alemanha. Mas devido a um desentendimento entre os dois (ninguém sabe o real motivo até hoje), Adi e Rudi separaram os negócios e começaram com o que conhecemos muito bem nos dias de hoje.

Voltando a copa, tanto Puma quanto Adidas vêem nesta copa uma grande oportunidade para buscarem a liderança isolada da poderosa Nike. E o primeiro passo foi dado pela Puma, que patrocina 12 seleções, porém, apenas a Itália está entre as favoritas. Vejo que a idéia principal ai, além de apostar nas seleções com menos tradição, é também preparar o território para chegar forte em 2010, quando a copa do mundo será na África do Sul.



Já a Adidas, deve aproveitar-se pelo fato de estar sendo a patrocinadora oficial do mundial, e nada melhor do que um evento desse porte para tal propósito. Só neste ano, a empresa espera ultrapassar a marca de 1 bilhão de euros em vendas de artigos para futebol. Eu não duvido disso.



A Nike por sua vez está em outro patamar, com uma imagem muito mais consolidada dentro do futebol, patrocina a seleção e o jogador mais balados do mundo, tem o maior faturamento entre as concorrentes e investe pesado em marketing e publicidade.

Existem também fabricantes menores neste mundial, como a inglesa Umbro com a Inglaterra e Suécia e a italiana Lotto, que veste as seleções da Sérvia e Montenegro e Ucrânia.

De qualquer forma, para nós publicitários, esta é uma boa oportunidade para acompanharmos de camarote uma briga que acontece paralelo à busca pelo troféu da FIFA. Que vença a melhor, no caso, a melhor estratégia de comunicação.

0 comentários: